AdiciPortuguês para criançasonar título (12)

Qual é o segredo dos grandes oradores?

Pesquisas recentes afirmam que FALAR EM PÚBLICO é o segundo maior medo das pessoas. O medo da morte está em primeiro lugar.

O que você pensa sobre isso?

Esses resultados se aplicam a você?

Se a resposta foi sim, é hora de “dar um Jeito” nisso, você concorda? Pois esse é um problema capaz de atrapalhar a sua carreira profissional e até a sua vida pessoal/social.

Que tal começar conhecendo alguns segredinhos bem simples e eficazes?

Veja:

  1. Falar bem é pensar bem ou seja: para se sentir em condições de expor seus pensamentos, é necessário que antes de mais nada, você saiba organizá-los.Esse é um hábito que devemos construir todos os dias – nos pequenos e menos importantes eventos – visto que,  eles nos preparam para os maiores e mais  importantes. Sendo assim, preste atenção a duas importantíssimas dicas:

Dica número 1: crie o hábito de pensar sobre o mundo que te rodeia. Faça pequenas relações. Use os sentidos para perceber os acontecimentos e principalmente para falar sobre eles. Esqueça a tirania da visão: perceba o cheiro, o barulho, o gosto, a textura dos acontecimentos. É isso que nos encanta nos grandes palestrantes.

Para começar faça esse exercício:

Olhe para uma árvore. Descreva-a sem usar a visão. Fale do cheiro, do som, da textura e do gosto que ela despertou em você. Se quiser, compartilhe conosco a sua descrição, gostaremos muito de participar das suas descobertas!

2. A capacidade de nos comunicarmos deve despertar prazer, alegria, vontade de interagir. Falar é prazer e não sofrimento.

Dica número 2: coloque alegria e entusiasmo em tudo o que você fala. Olhe para o seu interlocutor, aprenda a decifrar suas necessidades e sensações, pois essas habilidades o ajudarão a mudar o rumo de sua fala, se preciso for. Aprenda a falar o que o outro quer ouvir. Entendeu?

Um exercício para você começar:

Fale uma frase – em um tom bastante sério – para alguém de sua convivência:Observe o olhar dessa pessoa, as expressões, possíveis rugas que se formaram no rosto dela. Em seguida, continue o assunto, porém de forma mais branda, vá mudando o tom aos poucos: fale manso, fale alto, fale com sorriso na voz,  outras vezes com ironia  e outras com raiva. Faça pequenas pausas. Provoque respostas. Crie expectativas, curiosidade. Anote suas percepções e tome isso como exercício diário, em todas as suas interlocuções. Não se esqueça de compartilhar os resultados aqui, hein!

Gostou dessas dicas? Quer saber mais? Cadastre-se e prepare-se para as surpresas que virão!

Até lá!

Fátima Oliveira

Mestre em linguística e teorias da comunicação.

Back To Top